domingo, 27 de março de 2011

Biscoitos

Hoje, vou publicar uma receita, com História, para participar no Desafio do Blog Cinco Quartos de Laranja.

Há cerca de 55 anos, uma menina com 9 anos, vivia numa pequena povoação na Serra Algarvia.

Pelo Carnaval, duas jovens vizinhas, já casadas, juntaram-se para fazer os bolos tradicionais lá da terra.

A cozinha tinha lareira, com fogo no chão, e a sertã de ferro estava em cima de uma trempe. O azeite borbulhava enquanto se fritavam as argolinhas...

Dias depois, a menina pediu ajuda à mãe para fazer aqueles biscoitinhos e conseguiu reproduzir toda a receita.

Mas a história não acaba aqui.
Uma dessas jovens tinha um irmão mais velho que era militar e andava por esse mundo fora.... Os anos passaram e esse jovem já trintão, regressa à terra à procura de noiva ..., e, encontrou a tal menina que agora já tinha 20 anos, e ... acabaram por casar em Abril de 1964.

Eu e o meu irmão, adorávamos ajudar a fazer biscoitos.. Normalmente, quando os faziamos, juntavamo-nos ao serão, após os jantar, de joelhos em cima de bancos de madeira a fazer as argolinhas.

A minha mãe ficava com a tarefa mais difícil, a de fritar e passar os biscoitos pela calda de açúcar. No dia seguinte, lá estavam eles, os nossos biscoitos para nos deliciarmos.

Ainda hoje a minha mãe continua a fazer este biscoitos. Aqui em casa dizemos que são os biscoitos da Avó Quina.


Ingredientes:

-6 Ovos

- 2 Cascarões de azeite

- 1 Pitada de sal refinado

- 3 Colheres de sopa de aguardente

- 2 Colheres de sopa de açúcar amarelo

- 1 Casquinha de limão

- Farinha até tender (cerca de 700 gr)

- Óleo para fritar Ingredientes para a calda de açúcar:

- 1 Chávena de café de água

- 1 Chávena almoçadeira de açúcar branco (capacidade de 2,5 a 3 dl)

- 1 Casquinha de limão

- 1 Pauzinho de canela (facultativo)


Começar por preparar o cascarão de ovo para medir o azeite. Assim, com a ajuda de uma faquinha, fazer um pequeno buraquinho, num dos lados do ovo, e do lado oposto fazer uma abertura maior.

Depois, é só fazer o ovo sair. O cascarão faz de medida. É necessário tapar com um dos nossos dedos o buraquinho mais pequeno e depois,...., parece um funil.

Aos ovos juntar o azeite, o açúcar, a casquinha de limão, a aguardente e a pitadinha de sal. Bater com a colher de pau ou com a batedeira eléctrica.

Depois, ir juntando a farinha, a pouco e pouco, até conseguir tender as argolinhas. 


Com a ajuda de um pouquinho de farinha, moldar pequenas bolinhas, pouco maiores que nozes, e fazer uma argolinha.

Colocar em cima de uma toalha e deixar fintar cerca de 30 minutos.

Antes de fritar dar um corte com uma faca, para ajudar o biscoito a crescer.

Fritar em óleo quente, mas tendo cuidado com a temperatura para que fiquem douradinhos.


Juntar os ingredientes para a calda, numa panela de alumínio. Quando começar a borbulhar, juntar as argolinhas, todas de uma vez.

Segurando nas pegas da panela, ir dando voltas para que os biscoitos ficarem todos passados pelo açúcar. Não parar até a calda começar a ficar branca e seca.

Atenção para não fazer caramelo.

Depois, deitar em cima de uma toalha, tapar e deixar enroladinhos até arrefecerem.

Quando se destapam estão cobertos com uma camadinha de açúcar bem branco e crocante.

Esta foi uma das receita que mais me marcou na minha infância

Parabéns ao Blog da Laranjinha
Nota:
Quando publiquei esta receita estava com problemas de formatação.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Empadão de Couve For

Existem muitas variedades de couve, diferindo no tipo de folha, na cor, na flor, no caule, ...

Todas elas são benéficas para a saúde.

A couve-flor é muito rica em nutrientes, nomeadamente minerais (ferro, cálcio, fósforo,...) em vitaminas (Vit. A, C e do complexo B,...) e fibras, entre outros.

De cor branca, a couve-flor é muito atractiva para as crianças, necessitando, no entanto, de alguns cuidados na sua preparação para ter um sabor mais agradável.

Tradicionalmente a forma mais comum de cozinhar este tipo de couve é cozida em água e sal, mas a melhor maneira de a confeccionar é a vapor.

Adequa-se a diversas preparações culinárias, podendo realizar diversos acompanhamentos ou pratos principais.

O empadão de Couve -flor, aqui apresentado, foi confeccionado para acompanhar Solha Assada no Forno.

Ingredientes:
- 1 Couve-flor grande
- 50 gr de Margarina
- 2 Colheres de sopa de farinha
- Leite q.b.
- Sal, pimenta e noz-moscada q.b.
- 2 gemas
- pão ralado para polvilhar (pode substituir por queijo)

Começar por arranjar os raminhos de couve e colocar num alguidar com água, um borrifo de vinagre e uma pitadinha de sal. Este processo, permite que pequenos microorganismos que se encontrem nos raminhos se soltem. Uns minutos depois, retirar e lavar muito bem noutras águas.

Entretanto, cozer a vapor na panela de pressão, como já expliquei neste outro post.

Depois de cozida, migar grosseiramente, com um garfo e envolver com o molho Bechamel.

Deitar num pirex, polvilhar com pão ralado ou queijo tipo parmesão ralado.

Levar ao forno médio até dicar douradinho.

Molho Bechamel:

Num tacho , colocar a margarina e deixar derreter.
Acrescentar a farinha, e envolver bem.
Juntar o leite e mexer continuadamente até ficar dissolvido e não deixar "engranitar".
Deixar ferver.
Entretanto, bater as gemas com o sal, a pimenta e a noz moscada. Juntar um pouquinho de leite, e envolver no molho.

O molho deve ficar um pouco grosso, para que quando sair do forno fique com a consistência de um empadão.

terça-feira, 22 de março de 2011

Solha Assada no Forno com Coentros

A solha é um peixe com um sabor muito delicado e muito apreciado aqui em casa.

Peixe de carne branca, macio, húmido e relativamente económico.

Pode ser adquirido fresco ou congelado, inteiro ou à posta.

Adequa-se a várias preparações culinárias.

No dia 18 de Março, segunda 6ª Feira da Quaresma, este foi o meu almoço:

Solha Assada no Forno com Coentros acompanhada de empadão de Couve Flor.



Ingredientes:

- 1 Embalagem de solha congelada partida em postas
- 3 ou 4 Dentes de alho
- Coentros q.b.
- Sal q.b.
- Azeite q.b

Colocar a descongelar o peixe dentro do frigorífico.
Ainda meio congelado, escamar e temperar com a massa feita com os alhos, os coentros e o sal, pisados (como se fosse para fazer açorda Alentejana)

Colocar, as postas de peixe, dentro de um pirex e depois de completamente descongelado , regar com um fiozinho de azeite e levar ao forno, a assar, cerca de 30 minutos a uma temperatura de 180 G.

Acompanhar com empadão de Couve flor

quinta-feira, 17 de março de 2011

Sopa de Agrião

É sempre reconfortante uma sopinha quentinha.

Um prato de sopa, no ínicio das refeições, ou como refeição principal, é a melhor forma de ter uma alimentação saudável.

Poucas vezes publico sopas porque acho que é tão fácil que todos sabemos fazer.

A sopa de agrião é uma das minhas preferidas.

O agrião é um legume com um baixo teor calórico, mas muito rico em nutrientes como a vitamina A, algumas do complexo B e ainda a vitamina C. Destaca-se também os Sais Minerais como o Iodo, o Enxofre, o Fósforo e o Ferro.

O agrião pode ser consumido em sopas como esta, cru em saladas, mas também em muitas outras preparações culinárias como por exemplo, sumos, molhos, arroz e ainda para fazer deliciosos BOLOS.

As quantidades indicadas podem orientar na confecção da sopa, mas normalmente faço sempre a "olhometro".



Ingredientes:
- 1 Courgette grande
- 2 Nabos
- 2 Cenouras médias
- 1 Cebola média
- 2 Dentes de alho
- 3 Batatas médias (ou mais se preferir mais consistente)
- 1 Molho de agriões
- 1/2 Caldo concentrado de legumes
- Água, sal e azeite q.b.
- 1 ou 2 Ovos cozido

Começar por arranjar os agriões. Escolher as folhinhas e os talos mais tenrrinhos (não deitar fora os talos porque são muito ricos em fibras).

Lavar bem, e juntar os talos aos restantes legumes que, entretanto, foram preparados.

Levar a cozer em água e sal.

Quando os legumes estiverem cozidos reduzir a puré, juntar água suficiente para ficar um creme pouco grosso, rectificar os temperos (juntar um pouco de caldo concentrado de legumes e de preferência sem glutamatos).

Juntar as folhas de agrião e deixar cozer.

Praticamente no fim, juntar um fiozinho de azeite e deixar ferver ligeiramente. Há quem só tempere a sopa depois de ter desligado o fogão. No entanto, prefiro dar uma ligeira fervura.

Por vezes, quando procuro fazer uma refeição mais completa acrescento, já no prato, 1 ou 2 ovos cozidos e grosseiramente migados.

Bom Apetite

domingo, 13 de março de 2011

Massada de grão com atum gratinada

Portugal está a passar um período díficil ..., todos os dias surgem notícias sobre as dificuldades económicas, os preços que sobem, os vencimentos que sofrem cortes, o emprego precário é cada vez maior, ..., e com tudo isto estamos cada vez mais afastados da Igreija, da Fé, de determinados rituais associados as épocas Liturgicas e neste momento à Páscoa.

Parece que a Páscoa ainda vem longe mas a verdade é que logo a seguir ao Carnaval entra-se num período que para a Igreija Católica é muito importante, é tempo de preparação, de celebração, de reflexão, de oração, de penitência, de caridade, de jejum... Estamos na Quaresma.

Em casa dos meus avós maternos e também dos meus pais sempre se procurou respeitar este período e celebrá-lo vivendo-o com alguns rituais, algumas práticas religiosas, alguma penitência e jejum, mas também com comidas tradicionais.

Recordando esse tempo, cumpria-mos a restrinção do consumo de carne em todas as 6ª feira, desde que se iniciava a Quaresma Pascal.

Este período vai desde a"Quarta-feira de Cinzas", primeira 4ª feira a seguir ao Carnaval, até à "Quinta-feira Santa", última 5 ª feira que antecede o momento mais marcante a festa Pascal - Domingo de Páscoa.

Durante este período, e uma vez que este Blog se dedica às comidinhas, vou então publicar algumas das refeições que faço nas 6ª feiras: não irá incluir carne, será económica, rápida e saudável.

Dia 11 de Março, primeira 6ª feira da Quaresma: Massada de grão com atum gratinada



Ingredientes:

- 4 Latas de atum (embalagens pequenas)
- 1 Frasco de grão cozido
- 80 gr de Macarrão riscado
- 2 Cebolas médias
- 2 Dentes de alho
- 4 ou 5 Colheres de sopa de azeite
- 1 Folha de louro
- Tomate em conserva ou fresco (usei um pouco dos dois)
- 1/2 Caldo concentrado de legumes
- 200 gr de Queijo ralado Mozzarella
- sal, pimenta e oregãos secos q.b.

Começar por escorrer o atum do óleo e reservar.Entretanto, leve ao lume as cebolas e os dentes de alhos picados, juntamente com o azeite e o louro, e deixe "quebra"/ligeiramente transparente, sem refogar.

Junte o tomate picado e deixar cozinhar, em lume brando. Temperar com 1/2 cubo de legumes concentrado, sal, pimenta e oregãos.

Acrescentar o atum ligeiramente desfiado, o grão escorrido e a massa previamente cozida (mal cozida). Mexer e deixar cozinhar cerca de 5 minutos. Juntar água suficiente para acabar de cozer a massa no forno e rectificar os temperos.

Deitar este preparado num pirex e polvilhar com o queijo ralado.

Levar ao forno até gratinar.

Acompanhar com salada de alface.



Related Posts with Thumbnails