terça-feira, 1 de Julho de 2014

Empanadilha de Atum

O dia tão esperado para todo este grupo do facebook.
O desafio do mês de Julho é Peixe, qualquer peixe com excepção do bacalhau, porque esse tem que se lhe diga e consta que é como as 1001 noites, ou seja tem 1001 receitas.

Cá em casa todos gostamos muito de peixe, e quanto mais simples mais gostamos....

Isto fez com que andasse às voltas e voltas com as receitas e nunca mais me decidia, ..., até que este fim de semana e já a pensar em férias de verão, saudosa de um Picnic na Serra de S. Mamede ou de uma praia na Costa Alentejana resolvi fazer uma empanadilha, de origem galega. 

As empanadilhas são frequentes em Espanha e em vários países da América Latina. 
O significado está relacionado com "no meio do pão" e a diversidade de recheios é enorme.

Optei por utilizar atum, muito apreciado aqui em casa e a ideia fui buscar a uma revista de 2012 da Magazine (Continente).

É uma refeição simples, que acompanha muito bem com uma salada e um cerveja bem fresquinha.



Ingredientes para a massa: 
- 450 gr de Farinha de trigo
- 100 gr de Margarina 
- 50 ml de Água
- 50 ml de Vinho branco
- 100 ml de Azeite
- 1 Colher de chá de fermento padeiro (granulado)
- 1/2 Colher de chá pimentão-doce
- Pitada de açúcar
- 1 Colher de chá de sal
- 1 Ovo batido (para pincelar)

Ingredientes para o Recheio:
- 3 Latas de atum (cada com cerca de 120 gr peso líquido)
- 1 Lata de anchovas
- 1 Cebola picada
- 2 ou 3 Dentes de alho picados
- 3 Tomates frescos, pelados e sem grainhas
- 5 ou 6 Pedaços de tomate seco em azeite 
- 1/2 Pimento verde
- 1/2 Pimento vermelho
- 1/2 Chávena de salsa picada
- Oregãos
- 2 Ovos cozidos
- Sal e pimenta q.b
- Azeite q.b. 


Comece por colocar a farinha dentro de uma taça.

Abrir um buraco ao meio e misturar o fermento, previamente desfeito em água morna. 

Adicionar todos os restantes ingredientes com excepção do ovo. 

Amasse bem, em cima da bancada até que a massa fique homogénea e não pegue às mãos. 

Formar 1 bola e enrolar numa folha de celofane e deixar descansar cerca de 1 hora.


Entretanto, faça um refogado com o azeite, a cebola e os alhos picados. Junto o tomate picado e deixe apurar.

Coloque o pimento cortado em cubos, o atum, as anchovas cortadas em bocadinhos, e os restantes ingredientes.

Retire do lume e deixe arrefecer.

Após o tempo de levedação da massa divida esta em 2 partes (uma maior que outra).

Estique a massa, com a ajuda de um rolo e forre um tabuleiro rectangular, previamente untado e  forrado com papel vegetal.



Recheie, espalhando bocados dos ovos, e por cima o recheio já frio.

Polvilhar com um pouco de oregãos e cobrir com uma tampa de massa.

Fechar os bordos e enfeitar com o excesso de massa. Fazer uns furinhos na passa com a ajuda de uma faca, para que saia o ar.

Bata um ovo e pincele a massa com o mesmo.


Leve ao forno a 200 G, durante 35 minutos aproximadamente.

Quando retirar do forno deixe repousar uns minutinhos, para que a temperatura estabilize e a massa fique estaladiça. 

Este é o logotipo de mês de Julho, proposto palas gestoras deste grupo "Dia Um,...na Cozinha"

Desejo a todos os meus visitantes, e principalmente ao todos os elementos do grupo um ótimo mês de Julho.


sábado, 28 de Junho de 2014

Sardinhas Assadas com Salada Montanheira com Batata

Chegou o sábado, calmamente e em família vamos fazendo o que gostamos,...

O almoço foi simples e descontraído, ....  mas maravilhoso.  

Não tem nada que saber!!

Já apresentei aqui, uma refeição semelhante a esta, mas todos os anos quando chega a época das sardinhas, repetimos, e repetimos, e re.....



Ingredientes (tudo q.b.):

- Sardinhas
- Sal 
- Tomate, pepino, pimento, cebola, alho
- Batatas cozidas (preferencialmente cozidas com pele)
- Azeite, sal, vinagre 
- Orégãos secos e frescos
- Pão


Temperar as sardinhas com um pouco de sal e deixar repousar cerca de 30 minutos, no frigorífico.

Preparar a salada, picando todos os ingredientes.

Colocar numa saladeira funda e levar ao frigorífico para servir bem fresca.

Antes de levar à mesa temperar com sal, azeite vinagre, e orégãos secos.

Decorar com um raminho de orégãos frescos. 


Entretanto,assar as sardinhas.

Servir em cima de uma boa fatia de pão e acompanhar com a salada, e uma bebida bem fresquinha como uma cerveja.

*****
Em Sines existe uma tradição curiosa e deliciosa. 
No final da refeição, esta fatia de pão é torrada nas brasas - Torradinhas à pescador.
Este pão, untado com a gordura da sardinha, fica simplesmente surpreendente, mas..... altamente calórico.
OK!! consola-me pensar que é Ómega 3.....e que de vez em quando....




segunda-feira, 23 de Junho de 2014

Crumble de Marisco

Crumble é tipicamente um doce de origem inglesa. 

Surgiu durante a 2 Guerra Mundial, devido ao racionamento e à falta de ingredientes que habitualmente eram usados nas famosas tartes inglesas.

Algumas frutas como as maçãs, amoras,  pêssegos, entre outras, e um pouco de farinha, aveia, frutos secos, açúcar mascavado, canela e gordura são a base para uma deliciosa sobremesa. 

Mas, a criatividade de grandes mestres arriscam novos ingredientes, novos sabores e novas apresentações do crumble.

Não resisti à sugestão da Revista Magazine, do Continente, do mês de Abril de 2014.

Um crumble de marisco, que fiz como entrada de um almoço de família. 

Um prato rico, simples, não muito dispendioso, uma vez que utilizei marisco congelado, e com algum requinte, que também faz falta no nosso dia-a-dia.



Ingredientes:
- 500 gr de Medalhões de pescada congelada
- 200 gr de Miolo de camarão
- 200 gr de Miolo de mexilhão
- 4 Dentes de alho
- 250 gr de Queijo creme (preferencialmente mascarpone)
- 1 Colher de sopa de vinho branco
- 4 Colheres de sopa de cebolinho picado
- 1 Colher de sopa de salsa picada
- 200 gr de Farinha
- 100 gr de Manteiga
- 5 Colheres de sopa de queijo parmesão ralado
- Sal e pimenta q.b.

Descongelar o peixe e o marisco previamente (de acordo com as orientações da embalagem)
Coloque o peixe, partido em cubos, o camarão e o mexilhão numa taça.
Tempere com sal, pimenta e os dentes de alho picados.
Deixe repousar 15 a 20 minutos.


Numa outra tigela, misture o vinho branco com o queijo.
Misture também, a farinha com a manteiga, à temperatura ambiente, e as ervas aromáticas. 
Amasse, à mão ou com a ajuda de uma batedeira, até ficar com aspeto de areia grossa (crumble).

Num pixex, que possa ir ao forno, colocar o peixe, cobrir com a mistura de queijo e por fim com o crumble.

Polvilhar com queijo parmesão, e levar ao forno cerca de 30 minutos.

Como "entrada", acompanhar com uma salada e com pão torrado.

Bom apetite!

segunda-feira, 16 de Junho de 2014

Beringela com atum

A beringela é um fruto com grande valor nutricional. Rico em minerais, vitaminas, proteínas, fibras e o mais interessante, é pouco calórico.

Cada vez mais utilizo na minha cozinha. 

Fiz um jantar rápido e económico.
O mais importante é que foi do agrado de todos.



Ingredientes:
- 3 Beringelas pequenas
- 1 Cebola média
- 2 Dentes de alho
- 2 Latas de atum em óleo
- 2 tomates (de conserva) e um pouco do caldo
- 3 Fatias de pão triturado (ou se necessário um pouco mais)
- 1 Pitada de açúcar
- Sal, azeite, pimenta e salsa q.b
- Queijo parmesão ou pão ralado
- Óleo para untar um pouco de água

Lavar as beringelas, cortar ao meio e retirar o miolo. Salpicar com sal e deixar repousar cerca de 30 minutos.

Entretanto, refogar a cebola e o alho picado em azeite. Juntar o tomate e o miolo da beringela. 
Temperar com sal e pimenta. Deixar cozinhar.

Juntar o atum e o pão triturado na picadora 123. Envolver bem e antes de retirar do lume acrescentar um pouco de salsa picada.

Passar as beringelas por água para retirar o excesso de sal e deixar escorrer. Untar a pele com um pouco de óleo ou azeite.

Rechear as beringelas e polvilhar com queijo ou pão ralado (depende do gosto).

Levar ao forno a assar, num tabuleiro com um pouquinho de água.

Servir com salada e um pouco de arroz.

Boa semana


segunda-feira, 9 de Junho de 2014

Filetes de pescada com arroz de ameijoas


Que o consumo de peixe é muito importante na nossas alimentação já todos sabemos, não só pela sua riqueza em proteínas; pelo valor calórico,  que está diretamente relacionado com a gordura do peixe; e pelo tipo de gorduras fornecido, o omega3.

Surge frequentemente a controvérsia do peixe fresco versos congelado.

Sem dúvida que o peixe deve ser consumido extremamente fresco. Mas este tem frequentemente uma durabilidade muito curta, mesmo quando é mantido no frigorífico (3 a 4 dias). 

No nosso dia a dia, cheio de afazeres, nem sempre é possível ter peixe fresco, pelo que pode ser uma boa opção ter sempre peixe congelado em casa.

Há poucos dias, fiz um delicioso almoço, recorrendo a frutos do mar, que tinha no congelador.


Ingredientes para os filetes:
- Filetes de pescada congelados q.b.
- Leite q.b.
- Sal, Pimenta rosa em grão
- Folha de louro
- Alho q.b.
- Farinha, ovo e pão ralado
- Sumo de limão
- Óleo para fritar


De véspera, descongelar os filetes numa taça cobertos de leite. Temperar com sal, folha de louro, pimenta rosa, alho laminado. Deixar no frigorífico.
Escorrer os filetes e absorver o excesso de líquido com uma tolha de papel.
Passar por farinha, ovo e pão ralado. 
Fritar em óleo quente, e escorrer em cima de tolhas de papel para perder o excesso de gordura.
Ainda quentes borrifar com um pouco de sumo de limão.


Ingredientes para o arroz:
- Cebola q.b.
- Alho q.b.
-Tomate (de conserva) q.b.
- Pimento Verde q.b
- Malagueta fresca q.b
- Sal q.b.
- Azeite q.b.
- Pimenta branca q.b.
- 1 Chávena almoçadeira de ameijoas
- 1/2 Chávena almoçadeira de miolo de camarão
- 1 Filete de pescada cortado em bocadinhos pequenos
- 1 Chávena de chá de arroz 
- 3 Chávenas de chá de água
- 1 Ramo de coentros frescos e poejos  picados


Fazer um ligeiro refogado com o alho, a cebola e a folha de louro.
Juntar o tomate migado, um bocadinho de malagueta vermelha (eliminando algumas sementes) e uma tirinha de o pimento verde.  Temperar com sal e pimenta e deixar estufar mais um pouco.
Acrescentar o peixe e as ameijoas. Deixar suar uns minutinhos e acrescentar água para cozer o arroz.
Quando a água entrar em ebulição juntar o arroz.
Deixar cozinhar.
Quando o arroz estiver quase cozido juntar o miolo de camarão e as ervas aromáticas picadas.
Verifique os temperos e retire do lume.
O arroz deve ficar malandrinho.
Servir com salada de alface e pimento.

Comida caseira, sabores tradicionais....

Boa semana *****

quarta-feira, 7 de Maio de 2014

Miniquiches de Fiambre, Cogumelos e Tomate Seco


Comprei, há relativamente pouco tempo umas formas para tarteletes. 

Comecei logo a imaginar as imensas possibilidades de fazer doces e salgados. A primeira vez que as usei foi para fazer umas deliciosas Tarteletes de Maçã e Amêndoas, que publiquei no Iguarias P'ra Gulosos

Hoje, venho mostrar-vos uma versão salgada.




Ingredientes:
- 1 Receita de massa (usei esta)
- 180 gr de Fiambre (uma única fatia)
- 4 ou 5 Cogumelos frescos
- Tomate seco, q.b
- 8 Folhas de mangericão
- 200 ml de natas
- 200 ml de leite magro
- 2 ovos
- Queijo parmesão q.b.




Preparar a massa.

Fazer um rolo e dividir em 8 pedaços, sensivelmente iguais.

Untar as formas com azeite ou manteiga e esticar a massa mesmo com as mãos.

Cortar o fiambre em cubos. Cortas o tomate seco (em óleo) em pequenos pedaços e fatiar os cogumelos.

Distribuir todos os ingredientes do recheio pelas formas.

Enfeitar com uma folha de mangericão.



Num copo, deitar os ovos, as natas e o leite. 

Bater bem com um garfo. Distribuir este preparado pelas formas.

Polvilhar com queijo parmesão. Não usei sal porque o fiambre e o tomate já é salgado.



Levar ao forno, previamente aquecido, a 180 G, cerca de 20 minutos com as 2 resistências e depois mais 10 minutos só com a resistência inferior.

Deixar corar, e fazer o teste do palito se necessário.

Quando retirar do forno deixar 2 ou 3 minutos a repousar e depois desenformar.




Acompanha muito bem com uma salada verde.

Uma ótima refeição, quer sejam quentes ou frias.


quinta-feira, 1 de Maio de 2014

Pão Integral com Sementes

É com espectativa que aguardamos todos os meses pela mensagem decisiva.......

Todos queremos saber, todos queremos fazer, e no dia 1 todos esperamos um grande desfile de maravilhosas iguarias.

O tema do "Dia Um... Na Cozinha" do mês de Maio é o Pão. 
Este alimento milenar, tão utilizado em todas as culturas, países e tradições.

Optei por um pão integral que foi dos primeiro a fazer na minha cozinha, já passaram alguns aninhos, ..., mas o que é bom fica e repete-se......

A particularidade deste pão é o amassar à mão, ..., afinal eu ainda sou do tempo em que não havia as máquinas de fazer pão (MFP), e muito menos as famosas Bimbys.

Ainda me recordo dos grandes alguidares de pão amassados pela minha avó e pela minha mãe, lá na "santa terrinha". Todos acordávamos bem cedo e começava o grande ritual de preparar o pão, de preparar forno de lenha, de fazer massa de pão frita com açúcar e canela, para os "piquenos" como guloseima, e ainda ter a possibilidade fazer um pãozinho, sempre muito amassado e qual seria o maaaaais bonito, o meu ou o do meu irmão......

Amassar à mão, não é assim tão difícil, nem demora tanto tempo, como antigamente, e o sentir a massa, as voltas e voltinhas, acaba por ser um prazer, um momento de relaxamento.....



Ingredientes: 

- 1 Kg de Farinha Integral
- 500 gr de Farinha de trigo (Tipo 65)
- 1 L  de Água morna
- 1 Colher de sobremesa de sal (marinho preferencialmente)
- 1 Pacote de fermento granulado (11 gr) 
- 1 Colher de sobremesa de sementes de sésamo
- 1 Colher de sobremesa de sementes de linhaça
- 3 Colheres de sopa de sementes diversas ou com alguns frutos secos (abóbora, girassol, pinhão,...)



Num alguidar, juntar as farinhas, o fermento e as sementes. Misturar bem.

Aquecer a água e diluir o sal. 

Juntar a água aos ingredientes secos e começar amassar. Normalmente, depois desta primeira fase, passo a massa para a bancada. Aqui amasso com delicadeza, dou voltas e voltinhas, mais ou menos durante 10 minutos.

Quando a massa estiver pronta, colocar num alguidar, ou pirex, ligeiramente untado com azeite, fazer uma cruz e dizer como a minha mãe "que Deus te acrescente que é para muita gente..."

Coloquei uma película de celofane, e levei ao forno com uma temperatura mínima, cerca de 30 minutos. 


Este truque permite acelerar o trabalho do fermento. 

O fermento, necessita de algum tempo para fazer crescer o pão e é muito influenciado pela temperatura exterior. 
Quando eu não tinha forno eléctrico, envolvia o alguidar num cobertor, colocava junto da lareira ou da "camila" com a braseira acesa e esperava cerca de 2 horas ou mais, se o tempo estava realmente frio.

Ao fim deste tempo, mais acelerado, retirar a película, colocar a massa novamente na bancada e voltar a dar umas voltinhas, fazendo um rolo comprido com a massa que dividi em 3 partes.



Optei por colocar a massa diretamente num tabuleiro polvilhado com farinha, mas também faço muitas vezes em formas de "bolo inglês", untadas com óleo ou azeite.

Deixei "fintar" cerca de 10 a 15 minutos, tapadinhos com um pano. Este tempo é muito importante para a massa voltar a crescer. 

Imediatamente antes de ir ao forno, pré aquecido a um temperatura de 180 a 200 G, fazer uns cortes com uma faca de serrilha.



A massa ficou no forno cerca de 1 hora. Durante os primeiros 30 minutos o forno esteve à temperatura indicada, mas depois reduzi para 150 G de deixei cozer.

Quando o pão está pronto, retiro do forno e gosto de o deixar bem tapadinho, e repousa cerca de 30 minutos no aconchego do seu calor.



Pão acabado de fazer o pão, ainda bem quentinho, o que fazer para o jantar de domingo????

Uma deliciosas "Sandochas", com peitinho de frango grelhado, alface, tomate.....



Para cortar o pão ainda quente e sem esfarelar, uso a faca eléctrica, ..., mas atenção para não haver acidentes, pois a minha deu-me uma beijoca no dedo polegar da mão esquerda .....



O "Dia Um ...Na Cozinha" é um grupo que já me deu muito, ..., tem-me permitido conhecer  muitas cozinhas especiais, aprendido muito e é sempre com prazer que espero por este dia.

Este é o logótipo de Mês de Maio



A todos um bom feriado, e quem sabe, que este dia de sol seja uma opção para fazer um piquenic com umas boas "sandochas" de pão feito em casa.

sábado, 26 de Abril de 2014

Sopas de Peixe à Alentejana (Sines)


Aprendi a fazer esta receita com uma grande amiga, Ana Maria.

É mais uma Iguaria Alentejana, a que não resisti.

Volto a reforço a importância de divulgar estas receitas típicas da região e do país, como nossa identidade cultural.

As doses,..., foi a "olhometro"......


Ingredientes:

- Maruca (ou Garopa)
- Pão alentejano (de véspera)
- Cebola 
- Alhos
- Batatas
- Salsa e coentros q.b.
- Azeite, sal q.b. 
- Concentrado de caldo de peixe (facultativo)
- Piripiri (facultativo)
- Água q.b.
- Vinagre de vinho branco q.b.



Temperar previamente as postas de peixe (cerca de 1 hora antes)

Num tacho, colocar o azeite, bastante cebola e 2 ou 3 dentes de alhos. 

Quando a cebola começar a ficar translúcida, juntar um ramo de salsa e envolver bem.

Depois, acrescentar a água suficiente para as sopas, as batatas o peixe e temperar com um pouco de sal e o piripiri.

Tapar e deixar cozer lentamente.



Entretanto, cortar o pão em fatias finas, para dentro de uma terrina ou malga e polvilhar com bastantes coentros.

Quando as batatas e o peixe estiverem cozidos, rectificar os temperos e servir o peixe e as batatas num pirex.

Ao caldo juntar uma boa colher de vinagre e deitar este sobre o pão.

No prato, servir as sopas de pão e por cima acompanhar com batatas e peixe.

Bom apetite


domingo, 6 de Abril de 2014

Arroz de Frutos do Mar


Uma refeição rápida, mas do agrado de todos, aqui em casa.


Ingredientes:
- 1 Kg de Chocos congelados
- 10 Palitos de Delícias do Mar
- 1 Chávena de Miolo de camarão congelado
- 1 Cebola
- 2 Dentes de alho
- 1/2 Lata de tomate
- 1 Chávena de ervilhas congeladas
- 1/2 Pimento verde
- 1 dl de Azeite
- 1 dl de Vinho Branco
- Sal, pimenta q.b.
- 1 malagueta 
- Salsa ou coentros (usei os 2)
- 2 Chávenas de arroz
- O triplo das medidas de arroz de água



Descongelar os chocos e partir ao meio, se necessário. 
Num tacho, refogar a cebola e os alhos picadinhos, até ficar douradinho, mas não frito.
Adicionar, o tomate picado e algum molho. 
Acrescentar o chocos, o vinho, e temperar com um pouco de sal, pimenta e a malagueta.
Deixar cozinhar um pouco. Acrescente as ervilhas e cozinhe mais  15 minutos.
Junte o arroz e a água suficiente para cozinhar.
A meio cozedura junte o miolo de camarão, e mesmo no final, as delícias do mar e as ervas aromáticas picadas.

O arroz deve ficar, bem marandrinho, isto é com algum caldo, ... , "a correr pelo prato....."

Acompanhei com bróculos cozidos a vapor.



Esta semana fiz uma nova aquisição para a minha cozinha: estas formas de Tarteletes.

A vontade de estrear as forminhas foi muita, e por isso fiz umas Tarteletes de Maçã e Amêndoa que já publiquei no Iguarias P'ra Gulosos. 


A partir de agora gostaria de conhecer mais receitas, simples e deliciosas para usar as minhas forminhas....

Obrigado a quem me ajudar.

Bom domingo para todos os meus visitantes


sexta-feira, 4 de Abril de 2014

Tarte de Alho Francês e 3 Queijos

Ultimamente sinto que estou  sempre trabalhando.....

É no serviço, é em casa, é começar cedo, é continuar pela noite fora....é durante a semana, é ao fim de semana....., 

No entanto, mesmo quando se trabalha, e trabalha muito a sério, podemos sempre recorrer a pequenas estratégias que tornem esses períodos mais "leves", mais "amistosos", e até com mais rendimento....

A comidinha, tem certamente esta virtude de transformar as pessoas, e um doce, um salgado, um café, um chá, durante uma reunião, pode ser uma boa estratégia para que todo o grupo mantenha um ritmo de trabalho e um empenho nas atividades e projetos muito maior.

Numa destas reuniões, em Odemira, uma colega, presenteou-nos com uma tarte, super deliciosa, que julgo ser de Henrique Sá Pessoa.

Deixo a minha versão....



- 1 Rolo de massa folhada (usei do Lidl)
- 1 Alho francês (parte branca)
- 2 Dentes de alho
- 150 gr de Cogumelos
- 100 gr de Queijo creme
- 50 gr de Requeijão
- Um golinho de vinho branco
- Queijo Emmental  q.b. (usei Queijo da Ilha)
- Azeite q.b.
- Abóbora q.b.
- Mangericão para a decoração



Cortar o alho francês em rodinhas e levar a refogar juntamente com o alho picadinho.

Juntar os cogumelos laminados e deixar suar.

Acrescentar um pequeno golo de vinho branco. Deixar cozinhar e evaporar o líquido.

Retirar do lume e juntar o queijo creme.

Numa frigideira, ligeiramente untada, corar as pequenas fatias de abóbora.

Estender a massa folhada, picar o fundo com um garfo e espalhar o recheio de alho francês.

Colocar a abóbora por cima e esfarelar o requeijão por cima de todo o recheio.

Finalmente polvilhar com um pouco de queijo ralado, para gratinar.

Virar os bordos da massa para cima do recheio.

Vai ao forno, pré-aquecido a 180 G, até a massa ficar cozida e o recheio ficar corado.  

Decorar com folhinhas de mangericão.

Uma delícia e bom fim de semana



Related Posts with Thumbnails