segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Sangue de Porco de Vinagrete (à moda dos Balurcos)

Um dos objetivos deste blog é registar as tradições culinárias, que de alguma forma marcaram a minha infância.
É não perder parte do nosso património culinário.

Hoje, trago uma receita que a minha avó e a minha mãe faziam no dia da matança do porco.

Tenho boas recordações desse tempo,..., casa cheia de gente, era sempre uma festa, tios, primos, amigos e vizinhos. Quase que o porco se comia no mesmo dia!!!

O sangue, era dos primeiros petiscos que se colocava na mesa, depois de todo o trabalhinho feito (matar, chamuscar e desmanchar o porco) e antes da refeição principal que normalmente era uma "fritada de carne".

Eu, queria muita brincadeira, não parava de correr,.., mas mesmo assim a receita ficou na minha memoria.




No momento da matança do porco o sangue é aparado para uma vasilha (de preferência um alguidar de barro).
Depois tapa-se com um pano e deixa-se coalhar (o sangue fica coalhado e separa-se do soro)
Entretanto, coloca-se um tacho ao lume com água e sal.
Escorre-se o soro e pode-se deitar um pouco de água limpa no sangue, para lavar.
Quando a água começar a ferver, e com a ajuda de uma escumadeira, vai-se deitando bocados grandes de sangue coalhado. Deixa-se cozer em lume forte, como diz a minha mãe, a ferver em cachão.
Verificar se está perfeitamente cozido (com uma faca abrir um dos bocados maiores).
Quando tiver cozido escorre-se e espreme-se bem com a mão.
Reserva-se os bocados de sangue cozido numa taça.



Numa travessa ou num prato de servir coloca-se o sangue, ainda morno, já esfarelado em bocados mais pequenos.

Tempera-se com alho e cebola picadinhos, sal, azeite, vinagre e bastantes coentros.

No momento de servir pode-se deitar um poucoquinho de limão.

Acompanhar com bom pão e vinho caseiros.

NOTA:
Os Balurcos, é uma pequena povoação do Concelho de Alcoutim, no Algarve.


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Tarte de Atum com Legumes

Mais uma refeição super rápida, cheia de legumes e que foi diretamente para casa da filhota.


Ingredientes:
- Uma receita de massa 
- 200 gr de Feijão verde cortado fininho (como se fosse para sopa)
- 2 Cenouras médias (cortadas em rodinhas)
- Uns raminhos de couve flor
- 1 Cebola grande picada
- 2 ou 3 Dentes de alho picados
- 3 Latas de atum em óleo
- Água q.b.
- 3 Ovos
- 3 Colheres de sopa de farinha de trigo bem cheias
- 1,5 dl de Leite (depende da quantidade de líquido de cozer os legumes que existir)
- Sal e pimenta q.b.
- Azeite qb (um fizinho)


Em primeiro lugar preparar a tarteira com a massa, como expliquei aqui.

Num tacho, colocar o azeite, a cebola e o alho. Deixar estufar ligeiramente.
Juntar os legumes, tapar e deixar suar.
Temperar com um pouco de sal e borrifar, de ver em quando, com uma gotinhas de água para que os legumes vão ficando cozidos (não deixar cozer demasiado).

Escorrer o óleo do atum e juntar aos legumes (sempre leva um pouco de óleo, por isso é que, no início se deita pouco azeite), envolver.
Acrescentar a farinha diluída no leite (usar um passador de rede muito fina). 
Mexer bem. Se necessário juntar mais um pouco de leite.
Não deixar engrossar. Juntar imediatamente os ovos batidos, temperados com sal e pimenta.
Retirar do lume, e deitar na tarteira que já deve estar forrada com a massa.


Levar ao forno, previamente aquecido a 180 G e deixar cozer até ficar bem douradinha.

Retirar do forno e deixar arrefecer ligeiramente, antes de servir.

Bom apetite.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Strudel de Bacalhau


"Dia Um ...Na cozinha", é um passatempo que tem como objetivo fazer receitas com base num tema que é lançado no dia 15 do mês anterior. E, dia 1 de cada mês, o facebook é um desfile de iguarias.

Este mês de dezembro foi-nos proposto a realização de um Strudel Salgado.

Probleeeeeemas!!!!

Nunca tinha pensado nesta hipótese. Para mim Strudel era uma deliciosa sobremesa de maçã!!!

Procurei! Procurei! Procurei, e nada de concretizar uma ideia. 
Até que.....!!!!!......
Decidi que teria que ser de bacalhau, uma vez que estamos próximos do Natal e reza a tradição que bacalhau estará sempre na mesa de Natal.

Como estamos em época de crise, achei que poderia tentar fazer uma iguaria de requinte, para a noite de Natal, utilizando "migas de bacalhau".

Eis então a minha sugestão:


Resolvi fazer a massa de Romero Bicalho (adorei fazer):

Ingredientes: 
- 150 gr de Farinha de trigo
- 1 Ovo
- 1 Pitada de sal
- 25 ml de Água

Numa taça, colocar todos os ingredientes. Misturar bem.
Amassar ligeiramente a massa e quando ela já não pegar às mãos fazer a técnica das 100 batidas (atirar com a massa para a bancada cerca de 100 vezes).
Deixar descansar em lugar quente aproximadamente 30 minutos (enrolar a massa em folha de celofane).
Quando for para esticar a massa, fazer em cima de um pano polvilhado de farinha, como mostram as fotos.



Ingredientes para o  recheio:
- 300 gr de Migas de bacalhau previamente demolhadas
- 500 ml de Leite
- 1 Folha de louro 
- 1 Ramo de salsa
- 100 gr de Bacon
- 2 Batatas médias
- 1/2 Repolho (cerca de 300 gr)
- 1 Cebola média
- 3 Dentes de alho picados
- Azeite q.b.
- Sal e pimenta q.b.

Cozer as migas de bacalhau no leite com a folha de louro e o raminho de salsa, cerca de 10 minutos.
Escorrer o bacalhau do leite e desfiar, retirando alguma espinha que tenha.

Entretanto, aproveitar o leite que sobrou para cozer as batatas cortadas em bocadinhos pequenos.

Migar a couve e escaldar em água a ferver, temperada de sal, por  2 ou 3 minutos.


Num tacho, colocar um pouco de azeite, a cebola, os alhos picados e o bacon.

Deixar refogar ligeiramente. Juntar o bacalhau e envolver. Acrescentar a couve e deixar cozinhar mais um pouco. Por fim, acrescentar as batatas migadas (com um garfo esmagar as batatas, acrescentar leite de cozer para não ficarem muito secas). Rectificar o tempero com sal e pimenta, a gosto.

Reservar o recheio enquanto prepara a massa.


Começar por esticar a massa com a ajuda de um rolo, depois,........
Mãos na massa, ..., e com as costas das mãos fazer rodar a massa. Quando esta, começa a ficar muito grande colocar em cima do pano e, com as mãos ir esticando......a massa estica bastante fica quase transparente, até se vêem os desenhos do pano.....


Cortar os bordos da massa que estão um pouco mais grossos e também estão mais secos.

Pincelar com azeite, toda a massa, e rechear. O recheio deve estar morno.


Depois, é só enrolar, com a ajuda do pano. Fazer rolar o Strudel para cima de uma folha de papel vegetal, pincelar com azeite e levar ao forno até tostar.


Ficou "chique" e uma delícia!

Aqui fica o Logo do passatempo "Dia Um ... Na Cozinha" 




segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Baguete Recheada

Hoje, o domingo esteve muito soalheiro, apesar de estar frio.
Logo de manhã fui para a cozinha fazer as minhas experiências culinárias.
O perfume da comida rapidamente se espalhou pela casa. 

Adoro estes fins de semana em que estamos todos em casa (faltou a filhota, que não pode vir a casa....), que nos entretemos entre comidas, música, conversa, roupa, arrumações e limpezas, blogs.....

SIM BLOG's!!
Apesar de andar um pouco afastadas das publicações continuo a visitar muitas cozinhas, a guardar ideias, a aprender, a fazer e a fotografar....só tem faltado mesmo tempo para publicar as receitas.

Hoje trago uma baguete gigante, recheada com queijo, fiambre e.....



Ingredientes para a massa:
- 1/2 kg de Farinha
- 2 Ovos
- 2,5 dl de Leite morno
- 1 dl de Óleo
- 1 Colher de sopa de fermento granulado (Fermipan)
- 1 Colher de café de açúcar mascavado
- Sal q.b.

Ingredientes para o recheio:
- 6 a 8 Fatias de fiambre
- 4 Fatias de queijo (usei Gouda)
- 2 Tomates pequenos sem sementes, fatiados
- 1/2 Cebola fatiada muito fininha
- Oregãos q.b.
-Ovo para pincelar


Numa tigela, juntar todos os ingredientes e misturar com uma colher.
Quando a massa começar a ficar consistente, colocar em cima de uma bancada, previamente polvilhada com um pouco de farinha e começar a amassar como se trata-se de pão.

Quando a massa já não pegar ás mãos, fazer uma bola, enrolar em película transparente e deixar repousar em lugar quente cerca de 30 a 40 minutos. Ficou dentro do forno a uma temperatura de aproximadamente 30G .

Quando estiver pronta, retirar a película, amassar ligeiramente para baixar um pouco a fermentação e esticar com o rolo da massa.

Rechear como mostram as fotos. Primeiro numa das pontas da massa e depois na outra.



Coloque o recheio em cima da massa: as fatias de fiambre, as fatias de queijo, se gostar outra vez de fiambre, o tomate, sem sementes, a cebola e os oregãos.

Por fim enrole a massa. 
Pincele com ovo batido e polvilhe novamente com oregãos.


Coloque a massa em cima de papel vegetal, e passar para um tabuleiro. Vai ao forno, previamente aquecido a 180G, cerca de 30 minutos ou até dourar.



A massa ficou uma delícia.

O aroma era de piza e fez um delicioso "lanche ajantarado"

Boa semana

Nota: a ideia original veio desta cozinha.

sábado, 9 de novembro de 2013

Tarte de Frango

Ultimamente tenho publicado poucas receitas.
É o tempo,...., o tempo que não dá para tudo...

No entanto, tenho cozinhado bastante: o filho e o marido almoçam todos os dias em casa, e eu já sou fã da marmita, que praticamente todos os dias me acompanha.
O jantar, é também em casa, e mais uma vez, sou eu que me entretenho com os tachos e as panela enquanto o marido dá uma ajudinha ás matérias escolares do rapaz, que apesar de já frequentar o 10º ano é BOM que perceba que os pais continuam a acompanhar e estar presentes...
E, a filhota, que apesar de já estar a estudar em Lisboa, sempre gosta de uns miminhos, como as sopinhas e outras iguarias feitas aqui em casa.

Não há como a comida das mães!! certo??

Comigo acontece o mesmo,...há comidas que só feitas pela minha mãe é que me sabem bem, mesmo que eu as faça, e que tente sempre fazer como ela, não é a mesma coisa.....

Hoje, trago mais uma tarte salgada (quiche), rica em legumes, com alguma carne, procuro usar poucas gorduras e preferencialmente gosto das massas caseiras, feita com farinha integral e algumas sementinhas que dão outra riqueza nutricional à refeição.


Para a filhota é uma refeição prática, que acompanha com salada e no final com uma peça de fruta (uma ajudinha da mamã nas épocas de exames e testes...).

Ingredientes do recheio:

- 2 Colheres de sopa de azeite
- 1 Cebola média cortada em rodinhas
- Parte branca de um alho francês, cortado em rodinhas
- 300 gr de Cogumelos frescos laminados
- Uns raminhos de brócolos
- 1 Tomate cortado em cubinhos
- Frango cozido q.b.
- Sal e pimenta q.b
- 2 Colheres de sopa de farinha (bem cheias)
- 2 dl de Leite (aproximadamente)
- 3 Ovos


Forrar uma tarteira, ou um pirex com a massa, que já publiquei algumas vezes aqui no blog.

Entretanto fazer o recheio:
Num tacho, colocar o azeite, a cebola e o alho francês.
Deixar estufar ligeiramente e juntar os cogumelos. Tapar o tacho.
Quando já existe bastante liquido juntar os raminhos de brócolos para cozinharem ligeiramente.
Temperar com sal e pimenta.
Juntar o frango, e deixar cozinhar uns minutinhos, só para que todos os sabores fiquem bem "envolvidos".



Desfazer a farinha num pouco de leite e juntar ao preparado de frango. Quando começar a engrossar deitar os ovos batidos e retirar do lume.

Deitar na tarteira, previamente forrada com a massa e polvilhar com o tomate cortado em cubinhos.



Levar ao forno, previamente aquecido a 180G até ficar bem douradinha.


Servir com salada, quente ou fria.

NOTAS:
- Comprei dois frangos, para estufar. Retirei uma parte do frango e cozi num caldo aromático: água, sal pimentas em grão, folha de louro, alho francês (parte verde) e uma cenoura cortada em tirinhas.
Depois de frio, desfiar e retirar os ossos.
- Como a tarte é para levar para a minha filha, tenho que a congelar: depois de fria, parti em 6 fatias.
Envolvi, cada porção, em película aderente, identifiquei com uma etiqueta onde consta a data e o tipo de tarte. Coloco as fatias dentro de um saco de plástico bem fechado.
- No dia, em que ela pretende almoçar uma fatia de tarte, retira do congelador e coloca no frigorífico, de véspera. À hora do almoço, quando regressa do IST, já está pronta. É só preparar uma salada, aquecer uma sopinha e aquecer ligeiramente a tarte.... fico feliz por a poder ajudar!

Desejo dias felizes a todos os meus visitantes.
Aproveitem este dia de outono cheio de Sol.


domingo, 20 de outubro de 2013

Muffins de Mortadela

Hoje, como é domingo, fiz uns Muffins salgados para o lanche.

Foi um lanche especial, até porque tive visitas, o que me deixou muito, muito feliz.

Já reservei 2 para o meu almoço de amanhã, com uma sopinha de legumes e uma salada mista, e tenho a marmita feita.

Aposto que o filhote também vai querer levar para a escola.........


Ingredientes:

- 250 gr de Mortadela (ou outra carne)
- 1 dl de Azeite
- 2 Ovos
- 4 Colheres de sopa de leite
- 1 Iogurte grego natural
- 150 gr de Farinha
- 100 gr de Flocos de aveia
- 1 Colher de sobremesa de fermento em pó
- 1 Cenoura pequena ralada
- 1 Colher de sopa de mistura de sementes de sésamo e de linhaça
- 1 Pitada de sal
- Margarina para untar as formas de alumínio



Barrar as formas de alumínio com manteiga e reservar.

Cortar a mortadela em cubos. Juntar a cenoura ralada e a salsa picada.



Bater os ovos com o azeite e o sal. Adicionar o iogurte, o leite e bata mais um pouco.

Acrescente a farinha, os flocos de aveia, o fermento em pó, e a mistura de sementes.

Bata bem.

A esta massa, junte a carne cortada, a cenoura e a salsa picada. Envolver bem.




Divida pelas formas e leve ao forno, a uma temperatura de aproximadamente 190 G e deixe cozer cerca de 25 minutos. Fazer o teste do palito.

Bom apetite e boa semana para todos os meus visitantes.

Nota:
Pode-se usar qualquer tipo de carnes frias ou mesmo de carne assada ou outra.
Pode ainda levar queijo ralado na massa.


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Tarte de Peixe e Delícias do Mar

As Tartes Salgadas ou Quiches, como lhe queiramos chamar, são uma das refeições preferidas da minha filhota. Como ela está a estudar em Lisboa, é muito cómodo ter umas refeições, feitas aqui pela mamã, guardadas no congelador. 

As tartes são um ótimo recurso, que quando são devidamente congeladas e descongeladas ficam como que acabadinhas de fazer....

No entanto, considero que este tipo de refeições pode ser excessivamente calóricas.

Assim, para evitar esta situação, faço a massa em casa e uso farinha integral. Integro sempre bastantes legumes. E evito a utilização de muitos produtos processados como por exemplo os chouriços ou outras carnes de conserva.



Ingredientes:
- 3 Medalhões de pescada congelados
- 8 Barras de delícias do mar
- 200 gr de Cogumelos frescos
- 1 Courgette 
- 2 Cenouras
- 1/2 Pimento verde
- 1/2 Pimento vermelho
- 1 Cebola grande 
- 2 ou 3 Dentes de alho 
- 2 Tomates 
- Sal e pimenta q.b.
- Folhinhas de poejos q.b.
- 3 Colheres de sobremesa de farinha de trigo (bem cheias)
- Um pouquinho de água para dissolver a farinha
- 3 Ovos
- Azeite q.b.



Refogar ligeiramente a cebola e os alhos picados no azeite.
Juntar os legumes (cenoura às rodinhas, pimentos às tirinhas, tomate picado limpo de peles e sementes, cogumelos fatiados).
Deixar estufar. 
Juntar os medalhões e a courgette cortada aos bocadinhos.
Temperar com sal, pimenta e as folhinhas de poejos.
Diluir a farinha num pouquinho de água e juntar ao preparado para fazer o molho bechamel. Mexer rapidamente, já com o fogão apagado.
Entretanto, bater os ovos e juntar ao preparado.


Forrar, previamente, uma tarteira com a massa.

- 250 gr de farinha de trigo (metade tipo 55 e a restante integral)
- 12 Colheres de sopa de água 
-12 Colheres de sopa de azeite
- Sal q.b.
- 2 Colheres de mistura de sementes (linhaça, girassol, abóbora, sésamo), o que gostar

Misturar as farinhas com as sementes.
Bater os líquidos com o sal e juntar ao preparado anterior.
Envolver tudo muito bem. Não precisa ser muito batida.
Untar ligeiramente a forma de tarte com azeite, e esticar a massa até ficar bem fina.


Vai ao forno a 180G, até ficar douradinha.


Uma delícia....


terça-feira, 1 de outubro de 2013

Frittata de Legumes


O grupo "Dia Um... Na cozinha" é um projeto que decorre no facebook e que pretende desenvolver a criatividade em redor de um tema, de uma sugestão...
O grupo procura seguir as orientações propostas e todos os dias Um de cada mês publicamos as nossas experiências culinárias.

Este mês o tema foi Frittata de Legumes. 

Apesar de estar quase a finalizar o dia, aqui vou deixar a minha receita.
Foi a primeira vez que fiz e foi muito agradável. É uma refeição rápida, saudável e muito vistosa.
Acompanhei com focáccia (também uma expereência, a ser mais trabalhada...;)





Ingredientes:
- 1 Cebola
- 3 Dentes de Alho
- 0,5 dl de Azeite 
- 300 gr de Cogumelos frescos
- 1 Cougette média
- 1 Tomate
- 1/2 Pimento encarnado
- Sal, pimenta e oregãos
- 6 Ovos

Comece por prepara os legumes:
- lavar bem os cogumelos e fatiar;
- picar os alhos;
- cortar a cebola e o pimento em tirara finas;
- lavar a cougette e retirar as pontas. Fatiar em rodinhas fininhas;
- limpar o tomate de peles e sementes. Cortar em bocadinhos pequenos.

Numa frigideira colocar o azeite, os alhos picados e os cogumelos.
Deixar estufar e reduzir a água que libertam.

Retirar os cogumelos, com uma escumadeira, e no azeite que ficou juntar a cebola, o pimento, o tomate e as cougettes.

Deixar cozinhar até os legumes ficarem macios.


Volte a acrescentar os cogumelos e envolva bem.
Junte os ovos, previamente batidos e temperados com um pouco de sal, pimenta e  oregãos secos.

Retire do lume e leve ao forno numa forma redonda, ligeiramente untada com manteiga, cerca de 15 a 20 minutos, até ficar douradinha, e bem cozinhada.

Servir com um acompanhamento a gosto como por exemplo uma focáccia.



Este é o logotipo do mês de Outubro deste evento. 
Parabéns às dinamizadoras do grupo e ao empenho em manter este projeto.



Bom apetite :):):):)

domingo, 22 de setembro de 2013

Beringela recheada com arroz e umas pataniscas de bacalhau


A beringela não é um fruto que utilize muito na minha cozinha. No entanto, todos gostamos. 

Talvez esteja a faltar alguma criatividade ...............

Hoje resolvi fazer uma refeição que apesar de simples surpreendeu pela apresentação e pela surpresa.



Ingredientes:

- 3 Beringelas pequenas
- Sal e pimeta q.b.
- 1 Cebola média
- 1 Dente de alho
- 1 Folha de louro
- 3 Colheres de sopa de azeite
- 1/2 Lata de tomate pelado e um pouco de  caldo
- 1/2 Pimento verde
- 1 Ramo de salsa
- 80 gr de Arroz (medir em chávena)
- 1 Chávena  de água quente(igual á do arroz)
- 2 dl de Caldo de carne (2 dl de água quente com meio caldo de carne/frango diluído)


Lavar bem as beringelas e cortar o pedúnculo.
Abrir ao meio e escavar um pouco o miolo.
Polvilhe-as com sal e deixe descansar cerca de 30 minutos.

Picar a polpa da beringela e leva-la a refogar no azeite com a cebola e o alho.
Quando quebrar juntar o pimento picadinho, o tomate desfeito e o ramo de salsa.

Junte o arroz, envolva bem no refogado e regue com a água quente.

Deixe cozinhar cerca de 5 minutos e desligue o fogão. O arroz deve estar bem misturado no molho. Deixe repousar cerca de 10 minutos.

Entretanto, passe as beringelas por água para tirar o excesso de sal.

Colocar numa travessa de ir ao forno e rechear os "barquinhos" com o arroz.

Regue com o caldo de carne. Tape a travessa com papel de alumínio e leve ao forno quente cerca de 40 minutos.

Servir quente como acompanhamento de uma pataniscas de bacalhau.



Esta receita tem inspiração egípcia e descobri-a numa revista de "Receitas de Sucesso" de 2003. Fiz algumas alterações. 

Uma boa semana para todos os meus visitantes.



Pataniscas de Bacalhau com Poejos


A receita é de pataniscas mas parecem mais bolinhos de bacalhau :)

São simples de fazer e ficaram com um sabor especial devido aos poejos.

Como sobremesa, uns biscoitos deliciosos.



Ingredientes:
- 1 Posta média de bacalhau
- 1 Ovo
- 75 ml de Cerveja gelada
- 1/2 Cebola picada
- 2 Colheres de sopa de poejos picados
- 1 Dente de alho picado
- 50 ml de Caldo de cozer o bacalhau (metade água/metade leite)
- 80 gr de Farinha
- 1 Colher de sopa de azeite
- Sal, pimenta e noz moscada
- Óleo q.b. para fritar

Cozer o bacalhau numa mistura de água e leite (1 chávena de chá de leite e outra de água).
Depois de cozido, deixar arrefecer e desfiar em lascas pequenas.

Picar muito bem os poejos, a cebola e o alho.

Numa tigela colocar o ovo, o caldo de cozer o bacalhau, o azeite, e bater bem, com a vara de arames, até fazer espuma. Juntar a misturar de cebola, alho e poejos picados.

Por fim acrescentar o bacalhau.

Envolver a farinha e finalmente a cerveja geladinha.

Temperar de sal, pimenta e noz moscada. Deixar a massa descansar, no frigorífico, 10 a 15 minutos.

Para fritar as pataniscas, colocar óleo numa frigideira funda e deixar aquecer. 
Deitar colheradas de massa e deixar fritar tendo o cuidado de as virar para ficarem com uma cor doiradinha e  uniforme.

A temperatura do óleo é muito importante, porque se não estiver bem quente a massa absorve gordura, se estiver muito quente ganham rapidamente cor e não cozem por dentro.

Atenção ao sal porque o bacalhau já tem sal.

E para teminar este petisco....

Um cafézinho com uns biscoitos de chocolate. 

A receita está publicada no Iguarias P'ra Gulosos


Uma boa semana para todos os meus visitantes.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Fatias de Atum

Há poucos dias vi umas receitas de "tartes" de legumes, de atum e ainda de sardinhas na "net".

Apesar de não ter feito nenhum registo, elas não saíram da minha cabeça, ..., por serem tão simples e práticas.

Assim, resolvi fazer uma "tarte" com base no que me recordava .... e, adaptando aos paladares cá de casa.




Ingredientes:

- 3 Ovos
- 2 Colheres de sopa de farinha de trigo integral
- 2 Colheres de sopa de flocos de aveia 
- 1 Colher de sobremesa de oregãos
- 1 Iogurte natural
- Sal e pimenta q.b.
- 2 Latas de atum 
- 1/2 Lata de cogumelos
- 1 Colher de sobremesa de fermento em pó

Juntar a farinha de trigo integral com os flocos de aveia e os oregãos.
Misturar o iogurte e as gemas.
Temperar com sal e pimenta, bater bem.
Acrescentar o atum escorrido, e voltar a bater.
Bater as claras em castelo com uma pitadinha de sal e com o fermento. 
Envolver na massa.


Deitar a massa num tabuleiro pequeno, previamente untado com óleo e polvilhado com farinha (colocar papel vegetal no fundo).
Enfeitar com tomate em rodelas e cogumelos picados grosseiramente.
Polvilhar com um pouquinho de oregãos.



Levar ao forno pré aquecido a 180 G , cerca de 25 minutos, ou até estar douradinho e o palito sair seco.
Acompanhar com salada de alface.



É uma receita para repetir, é super rápida e muito agradável.

domingo, 15 de setembro de 2013

Sopa de Peixe com Poejos

Os dias correm, e nem sempre há tempo para fazer tudo o que queremos. 

Chegar a casa, mais tarde do que é esperado, e não ter jantar é um grande stress.... no entanto, acontece com frequência aqui em casa... isto é, o chegar tarde, porque normalmente deixo o jantar quase concluído.

Esta semana tive um destes dias em que não havia nada previsto. 

A hora do jantar é sagrada. Não convêm ser noite fora, e por isso tive que fazer algo bem rapidinho....

Resolvi fazer uma sopa de peixe bem aromática e super rápida. 
Foi prato único. 



Ingredientes:

- 1 Embalagem de pescada congelada cortada em postas (800 gr)
- 100 gr de Miolo de ameijoa congelado (aproximadamente)
- Massa cotovelo pequena q.b.
- 1 Lata de tomate
- 1 Chávena almoçadeira de ervilhas congeladas
- 1/2 Pimento vermelho
- 1 Folha de louro
- 1 Cebola grande
- 3 Dentes de alho
- Azeite q.b.
- Coentros e poejos q.b.
- Piripiri (facultativo)
- Caldo concentrado de peixe q.b.

Cozer a pescada em água e sal. 
Depois de cozida limpar de peles e espinhas.
Coar a água e reservar.

Fazer um refogado com a cebola, os alhos picados e o azeite. Juntar a folha de louro, o tomate picado e o pimento ás tirinhas.
Deixar apurar. Juntar as ervilhas e um pouquinho do caldo de cozer o peixe.
Quando as ervilhas estiverem quase cozidas acrescentar as ervas aromáticas picadas e o miolo de ameijoas.
Entretanto, para adiantar, e não perder muito tempo, colocar a massa a cozer, num outro tacho, com um pouco de água de cozer o peixe.

Quando o preparado de tomate estiver quase pronto juntar a massa (que ainda não estava totalmente cozida), o peixe e a água suficiente para fazer a sopa. 

Retificar os temperos, e juntar um pouco de concentrado de caldo de peixe e piripiri.
No momento de servir voltar a polvilhar com mais coentros e poejos picados. 

Os poejos são da minha "horta de ervas aromáticas", em vasos.


Estão lindos!....



terça-feira, 3 de setembro de 2013

Arroz de pombos bravos

Ofereceram-me uns pombinhos bravos, já arranjados e prontos para cozinhar.

Não é habitual cozinhar caça, até porque não sou muito adepta deste tipo de atividades. No entanto, reconheço que esta carne tem outro sabor.

Resolvi fazer um arroz de pombo, como se faz aqui no Alentejo, simples e com os aromas da terra.
Ficou bem "malandrinho", uma delícia.



Ingredientes:
- 2 Colheres de sopa de banha 
- 4 ou 5 Colheres de sopa de azeite
- 4 Pombos bravos
- 350 gr de Arroz
- 1 Folha de louro, grande
- 1 Cebola média
- 2 ou 3 Dentes de alho
- 0,5 dl de Vinho branco
- Sal, pimenta, q.b.
- 1 Haste de hortelã

Na panela de pressão, colocar o azeite e a banha. Juntar os pombos, partidos em 4 partes e temperar com sal, pimenta e a folha de louro. Deixar estufar um pouco. Junte a cebola e os alhos picados, envolva e deixe apurar. 

Refresque com um pouco de vinho branco e deixe cozinhar, com pressão, cerca de 5 minutos (senão utilizar a panela de pressão tem que cozinhar lentamente e acrescentar de vez em quando uns golinhos de água).

Após retirar a pressão, verifique se os pombos já estão tenros. Se assim for, retire-os do caldo e deixe-os arrefecer para desfiar a carne, retirando todos os ossos.

Entretanto, acrescente água ao caldo, retifique os temperos, e quando ferver acrescente o arroz (3 vezes o volume do arroz).

Quando o arroz estiver quase cozido,envolva a carne dos pombos desfiada.

Sirva aromatizado e decorado com hortelã.

Bom apetite............


terça-feira, 20 de agosto de 2013

Sopa de Tomate e Cenoura


O tomate é um fruto do tomateiro. 
Esta planta, originária das Américas Central e sul, é bastante apreciado em várias cozinhas, por este mundo fora, tal como a Italiana.

Em Portugal, também é muito utilizado, principalmente na primavera e verão, quando se intensifica a produção ao ar livre. No entanto, a produção faz-se durante todo o ano em estufas.

Mas, nesta época o tomate fica normalmente mais barato, com mais sabor, com mais perfume e com uma consistência totalmente diferente do tomate de estufa. 

Existem muitas variedades, em que estas carateristicas são bastante evidentes.

Hoje, trago um creme de tomate e cenoura, super simples.

Normalmente deito um pouquinho de batata, mas desta vez optei por juntar courgette (uma bem grande que parecia uma abóbora).




Ingredientes:
- 1 cebola média
- 1 Cougete grande
- Tomate q.b.
- Cenoura q.b
- Azeite e água q.b.
- 2 Folhas de mangericão frescas
- Croutons caseiros

Começar por arranjar os legumes: limpar o tomate de peles e sementes, raspar a pele às cenouras, tirar a pele e as sementes à courgete (se for muito grande). Cortar tudo em pedaços pequenos.

Fazer um ligeiro refogado com o azeite e a cebola. Acrescentar os legumes e deixar cozer, um pouco, nos próprios sucos.

Acrescentar a água, suficiente para a sopa e deixar ferver uns minutos. Acrescentar o azeite e deixar cozer completamete.

Por fim, triturar, e ao retirar do lume juntar as folhas de mangericão, para perfumar o creme.

Servir com croutons caseiros.

Também pode juntar um ovo escalfado.

NOTA:
Os croutons, que utilizei não são os verdadeiros croutons, uma vez que não são fritos em gordura.
Normalmente corto o pão em quadradinhos e coloco num prato de loiça, para ir ao microondas, cerca de 2 minutos no Grill, e na potência máxima. Confirmar se o pão está bem torradinho e servir. Caso necessário pode deixar mais um minuto. Desta forma, os croutons, ficam bastante menos calóricos.

domingo, 18 de agosto de 2013

Pãezinhos Rápidos com Chouriço Alentejano

Para aproveitar as tardes de praia, as atividades normais dos fins de semana ficam sempre um pouco mais atrapalhadas...

As comprar, foram feitas um pouco à pressa e acabei por esquecer de comprar pão para o pequeno almoço e para os lanches.

Foi então, que convidei os rapazes (o meu filhote e o meu sobrinho) para irem para a cozinha e fazer uns pãezinhos. 

A receita encontrei aqui e o resultado foi este:


Ingredientes:
- 500 gr de farinha sem fermento
- 4 Ovos
- 2 Colheres de sopa de fermento em pó
- 1 Chávena de chá de leite
- 2 Colheres de sopa de margarina
- Sal a gosto
- Chouriço alentejano q.b.

Misturar a farinha com o fermento em pó e o sal.
Adicionar o leite morno e a manteiga derretida.
Juntar os ovos e amassar tudo muito bem até ficar uma massa homogénea e maleável.

Deixe a massa descansar um pouco enquanto prepara as rodelas de chouriço.

Retirar bocadinhos e massa, e com as mãos enfarinhadas moldar os pãezinhos recheando com o chouriço.


Levar ao forno, em tabuleiro polvilhado com farinha ou em cima de uma folha de silicone, previamente aquecido a 220 G, cerca de 15 a 20 minutos.

Nota: Como utilizei ovos grandes, das simpáticas galinhas da capoeira dos meus pais (eheheh) tive que polvilhar com um pouco mais de farinha para conseguir moldar os pães.
Fica um pão bem consistente, mas muito gostoso. Poderia ter levado mais rodelas de chouriço.

Related Posts with Thumbnails