quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sopas de Tomate à Alentejana

No Alentejo, o Pão é um dos ingredientes principais na alimentação.

Sopas, migas, ensopados são enriquecidas com o bom pão alentejano.

A sopa é um dos pratos principais e pode ser fria ou quente.

A sopa fria mais conhecida é o Gaspacho, muito apreciada no verão.

Mas, nesta época, em que o calor aperta, também se consomem sopas bem quentes como a de tomate.

Hoje, vou apresentar a sopa de tomate, mas confeccionada de uma forma mais simples, pois não fiz com as tradicionais carnes.

Ingredientes:

- Tomate qb

- Pimentos verde e vermelho qb

- 1 Cebola média

- 2 Dentes de alhos

- 1 Folha de louro

- 1/2 colher de café de açúcar

- Sal qb

- Azeite qb

- Batatas novas (facultativo)

- Ovos ( 1 por pessoa)

- Pão Alentejano (de véspera)

Fazer um refogado com o azeite, a folha de louro, a cebola e o alho picado.

Depois junta-se o tomate pelado e limpo de sementes, cortado em bocadinhos, tirinhas de pimento verde e vermelho e deixar refogar mais um pouco.

Acrescentar água e deixar ferver durante algum tempo. Juntar batatinhas novas, cortadas em rodelas grossas, e deixar cozer.

Quando estiverem quase cozidas, acrescentar a água suficiente para a sopa, rectificar o sal e de acidez juntando uma pitadinha de açúcar, e assim que levantar fervura deitar os ovos para escalfar.

Para servir, deitar o caldo em cima das sopas de pão, e colocar uma rodelinhas de batata e o ovo escalfado.

Gosto de acompanhar com tiras de pimento verde.

****

Tradicionalmente esta sopa é feita com toucinho e chouriço.

Começa-se por fritar as tirinhas de toucinho e as rodelas de chouriço num pouco de banha.

Retiram-se as carnes e reservam-se para acompanhar a sopa.

A esta gordura acrescentar um pouco de azeite e fazer o refogado, como foi explicado anteriormente.

Há também quem utilize os ovos esfarrapados em vez de escalfados.

Assim, devem ser batidos previamente e ao deitar na sopa, em fio, mexer sempre com a colher-de-pau enquanto esta ferve.

****

É uma sopa quente mas maravilhosa.

A simplicidade da Gastronomia Alentejana, que antigamente alimentava os pobres e agora é Iguarias nos Restaurantes...


quinta-feira, 15 de julho de 2010

Bolo de Requeijão com Leite Condensado

O passatempo Alquimia de Ingredientes do Blog Eu Mulher, tem sido um grande desafio para toda a blogesfera. Ingredientes e mais ingredientes que vão aguçando a vontade de experimentar novos sabores.

No último passatempo fiquei muito feliz porque o bolo que publiquei, "Orelhas do Rei Ferdinando", foi o mais escolhido juntamente com os "Donuts Assados" da Carol Pimentel.

Assim, escolhemos dois ingredientes bem interessantes: o queijo e o leite condensado.

O Passatempo permite-nos fazer receitas doces, salgadas com os dois ou apenas com um dos ingredientes.

Apesar da grande diversidade de receitas, com estes ingredientes, procurei utilizar os dois na mesma receita (em tempo de férias não tenho muito tempo para experiências na cozinha, rsrs...) e ao mesmo tempo fazer algo diferente...

Utilizando bons ingredientes só pode sair um óptimo bolo.



Ingredientes:

- 350 gr de Requeijão
- 2 Latas de leite condensado
- 250 gr de Amêndoas
- 6 Ovos
- 1 Colher de café de canela
- 100 gr de Farinha de trigo extra fina
- 1 Colher de chá de fermento em pó
- 50 gr Margarina derretida
- Açúcar em pó q.b.
- Canela q.b.

Bater o leite condensado com os ovos (um a um), juntar o requeijão previamente desfeito com um garfo (se passar no passe-vite fica com uma massa mais cremosa), a margarina, a amêndoa moída, a farinha misturada com o fermento e a canela.

Depois de bem batido levar ao forno, em forma forrada com papel vegetal, bem untada com óleo e polvilhada com farinha.

Demora cerca de 1h a cozer a uma temperatura de 170 G, mas aconselho a fazer o teste do palito.



Depois de desenformado, e já frio, enfeitar com açúcar em pó e canela.

Fica um bolo húmido, pouco doce e delicioso...

Espero que apreciem esta minha experiência, porque aqui em casa foi do agrado de todos.


O REQUEIJÃO é formado a partir do soro do leite aquando do fabrico do queijo e que é novamente sujeito à acção do calor.

Branco como a neve, macio e com um sabor suave pode ser feito a partir de leite de vaca, de cabra ou de ovelha, ou ainda de uma mistura de leites. A massa tem um aspecto ligeiramente granuloso, e é rica em proteínas, vitaminas, minerais e em alguma gordura.

Em Portugal, o requeijão de Seia (Região da Serra da Estrela), é um dos mais conhecidos sendo conhecido como um produto de alta qualidade.

No Brasil e em Itália, este produto derivado do queijo é conhecido como Ricota.


domingo, 4 de julho de 2010

Orelhas do Rei Ferdinando

As "Orelhas do Rei Ferdinando", é um bolo cuja origem penso ser do Alentejo.
A receita foi-me oferecida por amiga Alentejana.

Com esta receita vou participar no passatempo Alquimia de Ingredientes do Blog EU MULHER.

Esta semana os ingredientes escolhidos são: Farinha de Trigo e/ou Manteiga.

São ingredientes bastante versáteis, usados em salgados e doce. Como sou gulosa vou fazer este bolinho que tem um nome bem original.


Ingredientes:
- 3 Gemas
- 500 gr de Farinha de Trigo extra fina
- 2 Colheres de sopa de açúcar branco
- 2,5 dl de Leite
- 5 Colheres de sopa de Leite
- 50 gr de Fermento padeiro ou uma carteira de Fermipan
- Pitada de sal refinado

Creme:
- 250 gr de Açúcar
- 250 gr de Manteiga sem sal


Calda:
- 100 gr de Açúcar
- 5 Colheres de sopa de leite
- 3 Gotas de aroma de baunilha

Desfaz-se o fermento no leite e deixa-se repousar cerca de 30 minutos.
Entretanto, mistura-se as 2 colheres de açúcar com a farinha, o sal, o fermento, as gemas e o leite que for necessário para tender.


Estende-se a massa, com a ajuda de um rolo (usei uma cana) não a deixando ficar muito fina.
Espalha-se sobre ela o creme, feito com a manteiga bem batida com o açúcar.
Depois de fazer o rolo, tirar a cana, por um dos lados.

Com a ajuda de um fio de cozinha, cortar bocados com cerca de 5 cm de comprimento.
Colocar estes bocados dentro de uma forma forrada com papel vegetal, bem untada com manteiga e polvilhada com farinha. Dispõem-se lado a lado sem comprimir muito.
Deixar descansar cerca de 2 horas (como estamos no verão deixei apenas 1 hora).


Vai ao forno cerca de 40 minutos a uma temperatura de 170G.
Entretanto, preparar uma calda fraquinha com o leite,o açúcar e o aroma de baunilha.
A meio da cozedura, quando o bolo já estiver dourado por cima, pincelar e espalhar bem a calda.
Deixar concluir a cozedura, retirar e só desenformar quando estiver morninho.

Espero que gostem das orelhas....

Quanto ao próximo desafio do Alquimia de Ingredientes proponho a utilização de QUEIJO.

Com o queijo é possível fazer doces e salgados.

Seria interessante utilizarmos queijos da nossa região.

Um grande abraço para todos.

sábado, 3 de julho de 2010

Boleima de Maçã (III)

Mais uma receita de Boleima de Maçã.

Esta, foi-me dada por uma amiga que reside em Portalegre.

Nesta região a Boleima é um doce tradicional e existem muitas variantes, como as que publiquei aqui no Blog em Setembro e Dezembro de 2009.

Não fiz propositadamente para participar neste evento, mas como é tão agradável vou dedicar esta receita a um Blog espectacular que festejou há poucos dias o seu 3º Aniversário.

Parabéns ao Three Fat Ladies por estar na Blogoesfera a deliciar todos os seus visitantes com maravilhosas Iguarias (e também vou participar no desafio de aniversário, hehe...)

Ingredientes:

- 4 Ovos
- 2 Chávenas de açúcar amarelo
- 3 Chávenas de farinha com fermento
- 1 Chávena de óleo (mal medida)
- 1 Chávena de leite
- 1 Colher de chá de fermento em pó

Bate-se os ovos.
Junta-se o óleo, o leite. Depois o açúcar, a farinha e o fermento.
Bate-se bem com a batedeira.

Depois de tudo bem batido, deitar metade da massa num tabuleiro untado com óleo e polvilhado com farinha (previamente forrado com papel vegetal).
Por cima da massa coloca-se uma camada de maçã (descascada e cortada em meias luas fininhas). Polvilha-se com açúcar amarelo e canela.

Deitar em cima da maçã o resto da massa e cobrir, novamente com fatias de maçã, açúcar e canela.

Borrifar, o açúcar e a canela com água (pouquinha). Este truque deixa uma crosta crocante.

Levar ao forno cerca de 60 minutos a uma temperatura de 180G, ou até o teste do palito sair seco.


Uma Iguaria da Cozinha Regional Alentejana, bem simples de fazer.


Bom apetite
Related Posts with Thumbnails